ARTISTAS / DIABO A SETE


Os Diabo a Sete nasceram em Coimbra em 2003 e desde então têm corrido os palcos do país, tocando em festivais como o MED, em Loulé, o Intercéltico de Sendim ou o Bons Sons em Cem Soldos. Apostados em desmumificar o passado, têm aos poucos vindo a conquistar o seu espaço na Nova Música Tradicional Portuguesa.

A banda tem vindo a construir um repertório baseado em temas originais e outros inspirados na música tradicional portuguesa, ainda que procurem abordá-los sem preconceitos puristas e com a consciência de que a música que elaboram é sempre contemporânea.

Entre Dezembro de 2006 e Março de 2007, o grupo deslocou-se à cidade do Porto para realizar as gravações de “Parainfernália”, o seu primeiro trabalho discográfico. Trata-se de um álbum com doze temas, nos quais a sanfona, o cavaquinho, a gaita-de-foles, o bandolim, as flautas ou a concertina balançam entre as referências à tradição musical portuguesa e as incursões em territórios mais modernos.

“Tarara” é o segundo capítulo da banda e conta com a participação de Carlos Guerreiro (Gaiteiros de Lisboa) em dois temas. Um álbum mais arrojado e onde vão mais longe na sua tarefa de reinvenção musical. Os ritmos e os instrumentos evocam por vezes paisagens do passado mas estas são transfiguradas em temas que nos falam do presente e nos trazem desenhos melódicos contemporâneos. Os arranjos explosivos dos Diabo a Sete continuam a reflectir a alegria com que trabalham e são o resultado do já longo caminho que percorreram juntos.

"Figura de Gente" é o terceiro trabalho editado pela banda em Novembro de 2016 e inclui o single “Tamboril”.